Assuntos

sábado, 18 de abril de 2015

JOGO 4877

PARTIDA NUM.: 4877
COMPETIÇÃO: Copa do Nordeste (Finais - Jogo de Volta)

                            


JOGO: Bahia 1 X 2 Ceará (CE)
DATA: Quarta-feira, 29 abril de 2015
LOCAL: Fortaleza-CE
ESTÁDIO: Arena Castelão
JUIZ: Ítalo Medeiros de Azevedo (RN)
AUXILIARES: Lorival Cândido das Flores (RN) e Luís Carlos Câmara Bezerra (RN) 
EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Wilson Pittoni e Tiago Real (Bah) e Uillian Correia e Wescley (Cea)
RENDA: R$ 1.807.162,00 
PÚBLICO: 63.903 pagantes e 504 não pagantes
GOLS: Maxi Biancucchi (Bah) e Charles e Gilvan (Cea)
BAHIA: Jean; Tony (Tchô), Robson, Titi e Bruno Paulista; Wilson Pittoni (Willians Santana), Souza, Tiago Real e Rômulo (Zé Roberto); Maxi Biancucchi e Kieza 
TREINADOR: Sérgio Soares
CEARÁ: Luís Carlos; Samuel Xavier, Charles, Gilvan (Sandro) e Fernandinho; Sandro Manoel, Uillian Correia, Ricardinho e Wescley (Marcos Aurélio); Assisinho (Tiago Cametá) e Magno Alves
TREINADOR: Paulo Silas do Prado Pereira (Silas)

OBSERVAÇÃO: Décimo segundo e último jogo do Bahia na Copa do Nordeste de 2015. Com este resultado o Cerá Conquistou a Copa Nordeste 2015.

O Jogo

Com aproximadamente cerca de 20 minutos de atraso, uma franca troca de ataques brindou os torcedores que lotavam a Arena Castelão. Sandro Manoel do Ceará, de forma boba, perdeu bola na intermediária, e Kieza quase completou um contra-ataque perfeito para o Tricolor de Aço.

O Ceará, dominante com a bola nos pés, sabia exatamente o que fazer. O maestro Ricardinho, decisivo no jogo da Fonte Nova, novamente apareceu para marcar seu nome na história do centenário Vovô. Um cruzamento perfeito, na cabeça de Charles, deu a dianteira aos donos da casa. Explosão da massa alvinegra, pois dessa forma num eventual empate em 1x1 não haveria mais a oportunidade da disputa de pênaltis. E assim terminou o primeiro tempo com o Ceará na frente.
Segundo tempo

Segundo Tempo

Na volta para a segunda etapa, o técnico Sérgio Soares do Bahia precisava ir ao ataque. Assim sacou Rômulo e colocou Zé Roberto, mas o efeito não foi o desejado. Mais uma vez, foi o Ceará que chegou com perigo. E mais uma vez com os pés de Ricardinho, que acertou a trave e viu, caprichosamente, a bola correr pela área, sem que ninguém a colocasse para dentro do gol. O domínio era completo do Ceará. Dentro ou fora de campo. Em nova cobrança de falta de Ricardinho, Gilvan, desta vez, subiu mais alto para decretar nova mudança no placar: 2 X Ceará.

Não tenho alternativa o Bahia partia com o que tinha para o ataque. Saiu Wilson Pittoni e entrou Willians Santana. Até mesmo Sérgio Soares apressava uma reposição de bola, apostando nas últimas fichas em alguma reação do Tricolor. Reação que não viria. Nem Kieza, nem Souza, nem nenhum tricolor seria capaz de colocar água no chope do Ceará. Nem mesmo o gol de Maxi Bianccuchi, já nos minutos finais. A taça ficou no Ceará. O Castelão se coloriu de preto e branco.

VÍDEO:



FOTOS:

Nenhum comentário:

Postar um comentário