Assuntos

sexta-feira, 25 de março de 2016

JOGO 4941

PARTIDA NUM.: 4941
COMPETIÇÃO: Copa do Nordeste (Quartas-de-Finais - Jogo de Volta)



JOGO: Bahia 1 X 1 Fortaleza (CE2)
DATA: Domingo, 03 de abril de 2016
LOCAL:  Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Eduardo de Santana Nunes (SE-CBF-2)
AUXILIARES: Eric Nunes Costa (SE-CBF-2) e Jean Marcio dos Santos (RN-CBF-2)
EXPULSÃO: Paulo Roberto (Bah)
C. AMARELO: Paulo Roberto (Bah) e Max Oliveira, Eduardo, Pio, Daniel Sobralense e Anselmo
RENDA: R$ 441.202,50
PÚBLICO: 18.328 pagantes
GOLS: Juninho (Bah) e Eduardo (For)
BAHIA: 
Marcelo Lomba, Hayner, Lucas Fonseca, Éder e João Paulo Gomes (Júnior Ramos); Paulo Roberto, Feijão e Juninho; Luisinho (Moisés), Thiago Ribeiro e Edigar Júnio (Zé Roberto).

TREINADOR: Dorival Guidoni Júnior (Doriva)
FORTALEZA: Ricardo Berna, Felipe Bala (Clebinho), Edimar, Lima e Max Oliveira (Eduardo); Juliano, Pio, Éverton e Daniel Sobralense; Anselmo e Juninho.
TREINADOR: Marquinhos Santos

OBSERVAÇÃO: Oitava partida do Bahia na Copa do Nordeste de 2016. Com este resultado o Bahia se classificou para enfrentar o Santa Cruz pelas semifinais da Copa do Nordeste de 2016.

Na tarde de domingo do dia 03/04, o Esquadrão de Aço e sua apaixonada torcida tiveram de enfrentar um tremendo de um sufoco (um verdadeiro teste cardíaco) nesta partida contra o Fortaleza, tendo o Bahia que se desdobrar em campo para garantir sua vaga nas semifinais da Copa do Nordeste de 2016.

Este cenário de sacrifício começou a surgiu quando aos 26 minutos do 1º tempo, o volante Paulo Roberto recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso da partida.  Aos os 7 minutos, o Bahia já havia deixando sua torcida apreensiva quando o atacante tricolor Thiago Ribeiro perdeu um pênalti que foi defendido pelo goleiro cearense Ricardo Berna.

Tendo o Bahia um a menos em campo, o Leão do Pici, que já vinha se mostrando superior no jogo, pressionou o Esquadrão de Ação, sobretudo em cima do lateral esquerdo tricolor João Paulo Gomes. Foram pelo menos sete chances claras de gol criadas pelo Fortaleza por aquele setor. E foi por ali também que surgiu o gol dos cearenses, aos 19 minutos do 2º tempo, com Eduardo desviando cruzamento de Pio.

A pressão do Fortaleza continuou, já que com um segundo gol os cearenses se classificariam. Mas o alívio surgiu para o Esquadrão quando Thiago Ribeiro dominou na direita do ataque, aos 39 minutos, e rolou para Juninho soltar uma pancada da entrada da área, direto no ângulo de Ricardo Berna.

O JOGO

Tudo o que o Bahia conseguiu fazer no 1º tempo foi descolar um pênalti. Aos 5 minutos, Hayner deu um chutão na direção da área do Fortaleza e Thiago Ribeiro tentou dominar. O atacante foi tocado no ombro por Juliano e caiu. Mesmo com o lance duvidoso, o árbitro apitou o pênalti. Na cobrança, o camisa 9 chutou mais o chão do que a bola e Ricardo Berna pegou.

A participação do Tricolor na etapa inicial acabou por ali. Tudo o que o time de Doriva conseguiu fazer nos minutos seguintes foi se defender como pôde. Auxiliado por um esquema inovador de Marquinhos Santos (um 3-3-3-1) e pelos erros na saída de bola do Esquadrão, o Fortaleza criou pelo menos cinco chances claras de gol somente 1º tempo, todas pelo lado esquerdo defendido por João Paulo Gomes.

A sorte e a péssima qualidade dos atacantes do Leão do Pici ajudaram o Bahia. Aos 11, Juninho, do Fortaleza, foi lançado nas costas de João Paulo Gomes; ele cruzou rasteiro e Daniel Sobralense chutou na trave. Aos 15, Anselmo recebeu enfiada de bola vinda da direita e bateu em cima de Lomba; no rebote, Sobralense chutou e Lucas Fonseca bloqueou quando a bola ia em direção ao gol. Aos 19, Max Oliveira cruzou da esquerda e Juninho, aproveitando desatenção de João Paulo Gomes, cabeceou raspando a trave.

Por conta desses lances, é injusto dizer que a expulsão de Paulo Roberto, aos 26, foi o verdadeiro fator prejudicador do Bahia no jogo. O volante levou o segundo amarelo ao cometer falta desnecessária no meio-campo.

Justo mesmo é dizer que com isso a pressão do Fortaleza só fez aumentar. Aos 34, Juninho recebeu na direita, nas costas de João Paulo, e cruzou para Anselmo chutar para fora. Aos 39, Juninho, mais uma vez nas costas do lateral esquerdo tricolor, cruzou da direita; Anselmo desviou e a bola ficou rolando na área até que Hayner tirasse. Final 0 X 0.

SEGUNDO TEMPO

A segunda etapa começou com Daniel Sobralense recebendo na direita e chutando no travessão de Lomba. Aos 19, o Fortaleza finalmente chegou ao gol: Pio recebeu na direita, nas costas da defesa tricolor, e cruzou para Eduardo abrir o placar. FORTALEZA 1 X 0.

O Leão do Pici pecou ao transformar a busca pelo gol da classificação em desespero. O Bahia, aproveitando os espaços que o adversário dava, apareceu pela primeira vez aos 22, quando Edigar Junio passou por cobertura para João Paulo no meio; o lateral chutou por cima do gol. Apesar do lance tosco, o Tricolor percebeu que poderia levar perigo no contra-ataque: aos 39, Thiago Ribeiro recebeu na direita e esperou a chegada de um colega; recuou então para Juninho, que soltou uma pancada da entrada da área direto no ângulo de Berna. BAHIA 1 X 1 FORTALEZA.

O cenário, então, mudou: se o Leão do Pici fizesse um gol, a partida iria para os pênaltis. E chegou muito perto disso. Aos 45, Eduardo cabeceou raspando a trave após cruzamento da esquerda. E aos 49, no último segundo de jogo, o mesmo Eduardo cabeceou a terceira bola na trave do dia.

VÍDEOS:

FOTOS:

Nenhum comentário:

Postar um comentário