Assuntos

quinta-feira, 4 de maio de 2017

JOGO 5013

PARTIDA NUM.: 5013
COMPETIÇÃO: Campeonato Baiano (Finais - Jogo de Volta)



JOGO: Bahia 0 X 0 Vitória (BA)
DATA: Domingo, 07 de maio de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO:  Manoel Barradas (Barradão)
JUIZ:  Marielson Alves Silva (BA)
AUXILIARES: 
Elicarlos Franco de Oliveira (BA) e Jucimar dos Santos Dias (BA)

EXPULSÃO: 
C. AMARELO: Lucas Fonseca (Bah) e Kanu, André Lima e Bruno Ramires (Vit)
RENDA: R$ 422.561,00
PÚBLICO: 
30.288 pagantes

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca (Jackson) e Armero; Renê Júnior, Edson, Régis, Allione (Gustavo) e Zé Rafael (Diego Rosa); Edigar Junio
TREINADOR: Guto Ferreira (Gordiola)
VITÓRIA: Fernando Miguel; Patric, Kanu, Alan Costa e Geferson; Willian Farias, Bruno Ramires (René) e Cleiton Xavier; David e Paulinho (Gabriel Xavier); André Lima (Rafaelson)
TREINADOR: Wesley Carvalho (interino)

OBSERVAÇÃO: Décimo quarto e último jogo do Bahia no Campeonato Baiano de 2017. No Estádio Manoel Barradas o Leãozinho da Barra empatou em 0 X 0 com o Tricolor de Aço e assim  conquistou de forma invicta o título do Campeonato Baiano de 2017, já que possuía a vantagem de jogar por dois resultados iguais conquistada na primeira fase do campeonato e por ter empatado em 1 a 1 no jogo da ida, na Fonte Nova.

Wesley Carvalho, técnico interino do Leãozinho da Barra chamado às pressas para substituir Argel Fucks, demitido após uma derrota justamente para o Bahia (no segundo confronto pela Copa do Nordeste), não sentiu a pressão de comandar o rubro-negro baiano.

Do lado tricolor, o técnico Guto Ferreira, bem mais tarimbado, armou o Bahia para abafar a saída de bola do Vitória. No começo, a tática deu certo, mas o Leão se encontrou no jogo e soube trocar passes para chegar ao ataque, onde o time da casa esteve mais presente.

O JOGO

Em clima de decisão, mas sem confusão e brigas, desta vez, o clássico BA X VI foi disputado a cada lance como se valesse a vida – e, de certa forma, valia. Numa partida equilibrada, as equipes abusaram das chances perdidas.

Quando não conseguiu infiltrar a defesa do rival, arriscou de fora da área e levou perigo com David e Paulinho. Foi do camisa 26 uma das melhores chances do jogo: acertou a trave depois de boa jogada pelo lado direito do ataque. O Tricolor teve boas chances para abrir o placar, com Edigar Junio no início da partida e um chute de longa distância de Régis.

SEGUNDO TEMPO

O Tricolor até ensaiou uma pressão nos primeiros minutos. Juninho cobrou falta que levou perigo ao gol de Fernando Miguel, e Zé Rafael quase marcou em um chute de fora da área. Mas, de novo, o Rubro-Negro voltou a equilibrar o jogo e assustou com chutes de Paulinho e David.

Com a bola, o time de Guto trocava passes, mas estava em dia de meias e atacantes pouco inspirados, como não haviam sendo, vide gols decisivos de Allione e Régis nos últimos jogos.

O equilíbrio do Vitória e a falta de inspiração do Bahia cravaram o empate em 0 a 0 que deu o título para o Leão, que pode comemorar o título invicto junto da sua torcida, está que esteve presente em massa no Barradão, mais de 30 mil rubro-negros.

VÍDEOS:

FOTOS:

Nenhum comentário:

Postar um comentário