Assuntos

sexta-feira, 9 de junho de 2017

JOGO 5020

PARTIDA NUM.: 5020
COMPETIÇÃO: Campeonato Brasileiro (Jogo de Ida)



JOGO: Bahia 1 X 0 Cruzeiro (MG)
DATA: Quinta-feira, 08 de junho de 2017
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
AUXILIARES: 
Rodrigo F Henrique Correa (RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)
EXPULSÃO: Henrique (Cru)
C. AMARELO: Renê Júnior, Vinícius, Eduardo e Tiago (Bah) e Ezequiel e Ábila (Cru)
RENDA: R$ 435.380,50
PÚBLICO: 18.917 pagantes e 19.162 no total
GOL: Edgar Junio (Bah)
BAHIA: 
Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Matheus Reis; Renê Júnior, Juninho, Allione (Mendoza), Vinícius (Gustavo Ferrareis) e Zé Rafael (Feijão);Edigar Junio.
TREINADOR: Jorge de Amorim Campos (Jorginho)
CRUZEIRO: Fábio; Ezequiel, Henrique, Léo e Diego Barbosa; Lucas Romero, Ariel Cabral, Robinho (Élber), Thiago Neves (Rafinha) e Alisson; Ábila (Murilo).
TREINADOR: Mano Menezes

OBSERVAÇÃO: Quinto jogo do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2017. Com um homem a mais desde os primeiros minutos de jogo, o Tricolor Baiano não encontrou facilidade para derrotar o Cruzeiro no estádio da Fonte Nova pela quinta rodada do Brasileirão 2017. O gol solitário de Edigar Junio, também no início do jogo, garantiu o suado triunfo por 1 X 0 em um confronto que se desenhava mais fácil para os donos da casa mesmo antes da expulsão do cruzeirense Henrique aos nove minutos da partida.

Quando Henrique foi expulso o Bahia já era superior em campo, porém depois de marcar o primeiro gol, o time tricolor se fechou, o Cruzeiro ganhou força e chegou a ameaçar o resultado. Na melhor oportunidade mineira, Matheus Reis evitou gol certo de Thiago Neves no início do segundo tempo, quase em cima da linha.


Mas nada impediu a festa da torcida na Fonte Nova. Afinal, o triunfo levou o Bahia a nove pontos, fechando a quinta rodada do Brasileirão na sexta colocação.


O JOGO


O Cruzeiro entrou em campo com uma lista extensa de desfalques, sendo três somente na zaga. Sem Caicedo, Manoel e Dedé, Mano optou por escalar Henrique improvisado no setor, e a experiência não deu nada certo. Perdido na defesa, o time visitante acumulou erros que seriam fatais para o resultado.


Nos primeiros minutos, foram Léo e Diogo Barbosa que saíram jogando errado na retaguarda e quase entregaram o primeiro gol ao Bahia. Mas aos nove, Henrique cochilou na marcação e viu Edigar Junio disparar. Para evitar o gol, o calçou por trás e foi expulso pelo árbitro.


A falta, à beira da área, em nada resultou, mas a ausência de um homem na defesa foi fundamental para o primeiro gol do Bahia. Assim em mais um cochilo cruzeirense, aos 16, Zé Rafael sofreu de Ezequiel falta na intermediária. Enquanto a equipe do Cruzeiro reclamava, o próprio meia tabelou com Allione, que foi à linha de fundo e cruzou para trás. Fábio não alcançou e Edigar Junio cabeceou para a rede fazendo BAHIA 1 X 0 CRUZEIRO.


Mano não refez a defesa com alteração imediatamente, optando por reposicionar Ariel Cabral. Minutos depois, porém, colocou o jovem zagueiro Murilo na vaga de Ábila. E surpreendentemente o Cruzeiro cresceu. Sem um homem fixo, os meias passaram a incomodar, ao mesmo tempo em que o Bahia passou a ceder espaço jogando somente no contra-ataque.


Aos 35, o Cruzeiro quase empatou. Diogo Barbosa recebeu pela esquerda, foi à linha de fundo e tocou para trás. Robinho chegou de carrinho e parou na ótima defesa de Jean. A resposta veio pouco depois. Aos 40, Juninho cobrou falta da intermediária e acertou a trave de Fábio.


SEGUNDO TEMPO


Por ordem dos técnicos ou não, o Cruzeiro voltou para o segundo tempo tomando conta da partida, enquanto o Bahia se limitava a defender. Exceção feita a duas chegadas dos donos da casa com Zé Rafael e Allione, o time mineiro era quem ocupava o campo de ataque.


E assim, quase chegou ao empate aos 14 minutos. Diogo Barbosa roubou pela esquerda, Robinho tabelou com Thiago Neves e devolveu para o meia. Praticamente sem goleiro, ele bateu firme, mas Matheus Reis desviou quase em cima da linha e tirou.


Thiago Neves e, principalmente, Alisson davam trabalho à defesa baiana, mas aos poucos o Cruzeiro cansou e o Bahia cresceu, ganhando novamente o campo de ataque. Aos 27, Matheus Reis cruzou e Edigar Junio desviou de leve. A bola ainda tocou em Murilo e acertou a trave de Fábio. Já aos 42, foi a vez do estreante Mendoza tentar de fora da área, com estilo, e levar muito perigo e terminou assim.


VÍDEOS:



FOTOS:


IMAGEM:
Frete e verso do ingresso da Partida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário