Assuntos

domingo, 1 de maio de 2016

JOGO 4945

PARTIDA NUM.: 4945
COMPETIÇÃO: Campeonato Baiano (Finais - Jogo de Volta)



JOGO: Bahia 1 X 0 Vitória (BA)
DATA: Domingo, 08 de maio de 2016
LOCAL: Salvador-BA
ESTÁDIO: Arena Fonte Nova
JUIZ: Leandro Pedro Vuaden (RS)
AUXILIARES: Bruno Raphael Pires (GO) e Luiz Claudio Regazone (RJ)
EXPULSÃO: Lucas Fonseca (Bah) e Diego Renan (Vit)
C. AMARELO: Hernane, Thiago Ribeiro, Éder, Tinga (Bah) e Amaral, Marinho, Vander (Vit)
RENDA: R$ 715.007,15
PÚBLICO: 20.804 pagantes
GOL: Feijão (Bah)
BAHIA: 
Marcelo Lomba; Tinga, Lucas Fonseca, Éder e Moisés;  Feijão, Danilo Pires (Henrique), Paulo Roberto (Juninho) e João Paulo Gomes (Luisinho);  Hernane e Thiago Ribeiro.

TREINADOR: Dorival Guidoni Júnior (Doriva)
VITÓRIA: Caíque; Zé Welison, Victor Ramos, Ramon e Diego Renan;  Willian Farias, Amaral e Leandro Domingues (Tiago Real); Marinho (Vinícius), Kieza e Vander (Alípio).
TREINADOR: Vagner Mancini

OBSERVAÇÃO: Décimo segundo e último jogo do Bahia no Campeonato Baiano e com esse resultado o Vitória sagrou-se Campeão Baiano de 2016.

Nesta partida na Arena Fonte Nova o tricolor baiano buscava após 28 anos (desde 1988 quando foi campeão brasileiro) o seu tricampeonato, mas infelizmente não conseguiu graças a um erro grotesco de arbitragem que tirou do Bahia o título e deu ao Leãozinho da Barra.

O Jogo

Como era de se esperar, a partida começou muito nervosa e truncada. Em três minutos, o árbitro Leandro Vuaden já tinha mostrado dois cartões amarelos, um para o rubro-negro Amaral, outro para o tricolor Hernane.

Com a bola rolando, o Bahia começou superior e conseguiu balançar as redes aos 20 minutos de jogo quando  Thiago Ribeiro cruzou na área, a bola desviou na defesa rubro-negra e bateu na coxa do volante Feijão antes de morrer no fundo da redes de Caiaque, BAHIA 1 X 0

Na comemoração, os membros do banco de reservas do Bahia teriam provocado os reservas do Vitória, o que criou uma confusão que terminou com a expulsão do goleiro tricolor Jean.
Empurrado pela torcida, o Bahia marcava a saída de bola, sufocava os rivais no campo de ataque e criava as melhores chances. Aos 29 minutos, João Paulo Gomes chutou da entrada da área e obrigou o goleiro Caíque a se esticar todo para defender.

Do outro lado, o Vitória não conseguia criar nenhuma jogada ofensiva e assistia ao jogo do tricolor. O clima dentro de campo continuava tenso, e uma nova briga aconteceu aos 34 minutos, depois de Vander se envolver em uma dividida com Marcelo Lomba. Ao final do primeiro tempo, o saldo foi de oito cartões amarelos distribuídos, quatro para cada lado.

Segundo Tempo

Logo no início da segunda etapa, o Vitória teve a chance de ouro para igualar o marcador e complicar ainda mais a vida do Bahia. No entanto, Kieza, após receber belo cruzamento da direita e totalmente livre de marcação, dominou e bateu em cima do goleiro Marcelo Lomba, desperdiçando a oportunidade.

O ritmo da partida era mais lento, mas o Bahia ainda precisava de um gol para levar a decisão para os pênaltis. Por isso, foi para cima e fez o goleiro Caíque trabalhar. Primeiro, o camisa 1 rubro-negro salvou um chute de fora da área de Danilo Pires, aos 13 minutos. No lance seguinte, defendeu cabeçada de João Paulo Gomes.

O tempo passava, e o Bahia não conseguia manter o mesmo ritmo da primeira etapa. O técnico Doriva promoveu mudanças, lançando a equipe ao ataque com a entrada do atacante Henrique no lugar do meia Danilo Pires. No entanto, a solidez da defesa do Vitória estragava os planos tricolores.

Aos 32 minutos, o Bahia chegou com Moisés, que aproveitou sobra de cobrança de lateral na área e bateu para fora.

Já aos 33 minutos aconteceu o segundo lance crucial desses dois  jogos finais do campeonato quando o jovem atacante tricolor Henrique foi atropelado na área por um defensor rubro-negro, e não teve a penalidade assinalada pelo juiz da partida, tirando assim do Bahia mais uma vez a chance de conquista o título.

A resposta do Vitória veio logo em seguida, com Marinho, que tentou bater dentro da área e foi travado pela defesa tricolor.

Aos 37 minutos, Moisés salvou o Bahia ao impedir, mais uma vez, uma tentativa de Marinho.

O clima, que era quente, fechou de vez a três minutos do fim do tempo regulamentar, quando Diego Renan e Lucas Fonseca se estranharam. O resultado da confusão generalizada foi duas expulsões para cada lado: além de Diego, o Vitória perdeu o reserva Norberto; já o Bahia, além de Lucas, teve o reserva Dedé expulso.

Depois da longa paralisação, a arbitragem deu seis minutos de acréscimo. O Bahia ainda teve a última chance de levar a decisão para os pênaltis, aos 48 minutos, mas Tinga não aproveitou cruzamento de Juninho e cabeceou fraco nas mãos de Cacique.

Após o apito final, os jogadores das duas equipes voltaram a brigar dentro de campo, mas o título ficou injustamente nas mãos do Vitória.

VÍDEOS:

FOTOS:

Nenhum comentário:

Postar um comentário