Assuntos

terça-feira, 12 de agosto de 2014

SANFILIPPO

SANFILIPPO

JOGADOR: Sanfilippo (El Nene)
NOME: Jose Francisco Sanfilippo
DATA DE NASCIMENTO: 04 de maio de 1935
LOCAL: Buenos Aires (ARG)
DATA DE FALECIMENTO: 
LOCAL: 
POSIÇÃO: Centroavante
PERÍODO: 1968 à 1971
JOGOS:
GOLS: 42 gols
ORIGEM: 
JOGO DE ESTRÉIA: Bahia 1 X 0 Botafogo-RJ pelo Campeonato Brasileiro de 1968 (Torneio Roberto Gomes Pedrosa) em 27/10/1968.
JOGO DE DESPEDIDA: Feira Tênis Clube (BA) 0 X 1 Bahia pelo Campeonato Baiano em 13/06/1971
CLUBES NA CARREIRA:  San Lorenzo del Almagro-ARG, Boca Juniores-ARG, Nacional-URU, Banfield-ARG, Bangu-RJ, Bahia, San Miguel-ARG

TÍTULOS NO CLUBE

Campeão Baiano de 1970 e 1971

OBSERVAÇÕES: Sanfilippo foi um dos maiores jogadores da história do Futebol Argentino onde até hoje é ídolo. Desejado pela diretória do Bahia desde os jogos com o San Lorezo del Almagro (ARG) pela Taça Libertadores em 1960, Sanfilippo chegou ao tricolor em 1968, emprestado de graça por Castor de Andrade, após uma tumultuada passagem pelo Bangu-RJ,  e aqui permaneceu até 19 de junho de 1971, quando então retornou a Argentina para finalizar sua carreira no San Lorezo.

Foi dele um dos gols mais bonito da história do Futebol Baiano. Foi contra o Itabuna em 1969. Em uma cobrança de escanteio do jogador Gajé, a bola caiu na linha esquerda da grande área. Os dois zagueiros itabunenses eram enormes, mas isso não impediu Sanfillipo de fazer o gol. O jogador argentino pegou a bola, bateu por debaixo dela e, ao mesmo tempo cobriu a dupla de zagueiros com um Banho de Cuia. Na altura da marca do pênalti, matou no peito e jogou na gaveta do gol itabunense.

Sanfilippo jogou muito tempo de centroavante, na verdade um falso centroavante, do tipo que saia para buscar o jogo. Passava, lançava e chutava excepcionalmente bem, um verdadeiro gênio da bola que logo virou ídolo da torcida tricolor.

No dia 13 de junho de 1971, depois de um jogo em Feira de Santana (BA) pelo Campeonato Baiano (Feira Tênis Clube 0 X 1 Bahia), lavou a roupa suja dizendo nos microfones da Rádio Cultura da Bahia que havia sido 'enrolado' pelo presidente tricolor, Alfredo Saad. O presidente do Bahia lhe havia prometido o posto de treinador no lugar do Técnico Fleitas Solich (havia deixado o Bahia pelo Flamengo) mas não cumpriu a promessa. Chateado com o incidente, o ídolo argentino então arrumou as malas e retornou a Argentina.

FOTOS:

Campeões Baianos de 1971

Nenhum comentário:

Postar um comentário